Páginas

sábado, 29 de novembro de 2014

Há números que metem medo e provocam arrepios. São números que desde a Antiguidade são considerados nefastos, números que se acredita atraírem o azar ou que, por surgirem situações apocalíticas inspiram receio universal.






O número  13  


"...É curioso verificar que, dependendo do ponto de vista geográfico e da cultura, o mesmo número pode ser nocivo e temido ou, pelo contrário, pode ser considerado como o número da sorte e portador das mais diversas graças. É isto que acontece com o número 13. Para algumas pessoas (normalmente ocidentais) é um número adverso; para outras é o número da sorte, um excelente talismã que trazem gravado numa pequena medalha.

A Antiguidade greco-latina sentia um certo desamor pelo número 13 porque se seguia ao 12, que se associava à finalização. O número 13, no entanto, era o número sagrado dos mexicanos e do povo do Iucatão.

Os antigos hebreus não consideravam o treze como número azarento; parece que essa qualidade nasceu a partir da condenação de Judas depois da última ceia, pois Jesus e os seus apóstolos somavam doze e a décima terceira pessoa, Judas, revelou ser um traidor...

...Muitos ocidentais renunciariam a comer se tivessem de o fazer numa mesa constituída por treze comensais. Como exemplo, nada melhor do que a seguinte história:  
Victor Hugo, o célebre escritor francês, depois de ter sido convidado para um jantar de gala, apercebeu-se de que o número de comensais era treze. Então, em vez de se sentar à mesa, declarou aos presentes: "Queridos amigos, há uma pessoa supersticiosa que não se vai sentar à mesa enquanto o número dos presentes for treze". Um dos convidados perguntou: "E quem é esse imbecil?" Victor Hugo respondeu: "Esse imbecil sou eu".  Também se diz que a rainha Isabel II de Inglaterra, quando viaja, examina atentamente os planos de voos, entrevistas e actos protocolares para ter a certeza que neles não figura o número 13.

O Décimo Quarto Comensal
Nestor Roqueplan (1804-1870), redator chefe do Le Fígaro, não era apenas um dandy  que cultivava a mais refinada elegância. Levou uma intensa vida social, sempre convidado para jantares e festas, mas tinha um segredo para ser tão querido. No seu cartão de visita, por baixo do nome, onde deveria figurar a sua profissão de jornalista, aparecia a menção: "Décimo quarto". 
Oferecia-se , assim, para ser convidado para qualquer reunião ou mesa de treze convidados.

Um caso de medo do 13 na Literatura
Na obra de Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas, aparece a seguinte passagem:
"Contou-me que o marido ia recusar a nomeação por um motivo que lhe contou só a ela, pedindo-lhe o maior segredo; não podia confessá-lo a mais ninguém.
- É pueril - dissera-lhe-, é ridículo; mas, ao fim e ao cabo, para mim, é um motivo muito forte.
E contou-lhe que o decreto estava datado de 13 e que esse número evocava nele uma recordação funesta. O pai tinha morrido num dia 13, treze dias depois de uma refeição com treze comensais. A casa em que a mãe tinha morrido tinha o número 13. Etc. Era um número fatídico. Não podia alegar isto perante o ministro; dir-lhe-ia que tinha razões pessoais para não aceitar...

No tarô, a carta número 13 corresponde à "Morte".
Assinalemos, para finalizar, algumas consequências práticas do temor reverencial em relação a este número: as companhias aéreas Iberia e Alitalia não têm a fila 13 de assentos em nenhum dos seus aviões; A Renault desenhou os seus modelos de automóveis dos números 3 ao 21, omitindo o modelo 13; em muitas cidades ocidentais não existe em nenhuma rua o nº13; o 13 está igualmente proibido em muitos hotéis, que o omitem na numeração dos quartos....."



Garcia del Cid

Se quiser saber mais  
consulte o  
ou 


sugestão musical...


Aretha Franklin - "Respect"


Hoje, em Lisboa, pode aproveitar, ainda...


O Museu do Fado e a Time Out juntaram-se para celebrar de um modo especial o terceiro aniversário da consagração do Fado como Património Cultural Imaterial da Humanidade. Durante três dias – 27,28 e 29 de Novembro -, o espaço Time Out Mercado da Ribeira vai transformar-se n’A Maior Casa de Fados do Mundo. O palco desta celebração é o Mercado da Ribeira, que recebe Camané e David Fonseca no dia 27 de Novembro e António Zambujo com Virgem Suta numa homenagem a Max no dia 28 de Novembro, em concertos de entrada livre. A curadora do evento, Mariza, encerra o festival no sábado, dia 29 de Novembro pelas 21h30 na companhia de Jorge Fernando e Miguel Gameiro. A entrada para este concerto terá um custo de 30€. No dia 29, pelas 15h00, a Tasca do Chico vai animar o Mercado com Fados e Desgarradas. 

Museu do fado

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

S. Martinho trouxe-nos o Verão...


Recordemos um dia verdadeiramente saboroso...

 "Castanhas, Saúde  e Literatura - Perfeita Mistura"

Atividade de articulação

Biblioteca Escolar e Projeto "ÉS" 


O dia começou bem...
 Os raios de sol não nos abandonaram, fazendo jus à tradição.
 Logo pela manhã, na BE, realizou-se a conferência " Hábitos Alimentares dos Jovens", ministrada por João Gambito Fernandes, finalista de nutrição no Instituto Superior de Ciências e Saúde Egas Moniz.
Alguns minutos depois, rompendo o silêncio, S. Martinho, envolto na sua capa,  surpreendeu a plateia, ao narrar a sua vida, verdadeiro paradigma de generosidade.
Após termos recordado a celebérrima lenda, texto da nossa literatura popular oral,  todos os alunos, funcionários e muitos professores saborearam as castanhas "quentes e boas", assadas na presença de um assador profissional.
Foi uma manhã breve, mas bem "deliciosa"...

 

Objetivos

- Conhecer tradições associadas à literatura popular e profissões antigas

- Conhecer os benefícios da castanha na alimentação ao longo da história

- Promover hábitos de alimentação saudáveis

 
 
Avaliação da atividade

Tratamento dos dados: Prof. Mário Almeida
 
 
 
 






 












 
Agradecimentos

Comunidade Educativa

Junta de Freguesia de Alcântara

Museu do Teatro de Lisboa

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Não fique pelas palavras... passe, mesmo, à ação... seja solidário!


O grupo de voluntariado da "Fonseca em Ação" vai realizar uma campanha de solidariedade de recolha de alimentos, a favor da população sénior e das famílias desfavorecidas,  acompanhadas pela IPSS Pro Alcântara.


A campanha decorre de 25 a 28 de novembro de 2014




Autora do cartaz: prof. Fátima Ponte

Hoje, na nossa escola, começaram as ações de sensibilização e de informação da segurança e saúde no trabalho para toda a comunidade escolar.

A ACT irá novamente acompanhar o “Regresso às Aulas” com a Campanha “Crescer em Segurança – Educação para a Prevenção.”


A ACT pretende desenvolver ação de sensibilização e informação, nos domínios da Segurança e Saúde no Trabalho, para toda a comunidade escolar, tendo como principais objetivos contribuir para a implementação de uma verdadeira cultura de segurança nas escolas e, consequentemente, na comunidade civil e a integração num futuro próximo dos conteúdos de SST nos curricula escolares.
...
“…a sensibilização para a temática da saúde e segurança no trabalho começa na escola. Foram emitidas recomendações no sentido de refletir melhor a problemática da saúde e segurança no trabalho nos currículos escolares (em especial na formação profissional), bem como promover a melhor saúde mental e o bem-estar. Foram registados projetos-piloto bem-sucedidos, mas os seus resultados necessitam de melhor divulgação.”
...
Nestas ações de sensibilização irão ser abordados vários temas sobre SST, tais como:

1.   Princípios Gerais de Prevenção (Convenção nº 155 da OIT);
2.   Princípios e conceitos de SST:
     ·         Definição de Perigo e Risco;
    ·         Prever riscos semelhantes em situações novas: trabalhos de grupo (opcional, consoante o n.º de alunos/turma);
·         Principais Riscos (agentes físicos, químicos, biológicos)
·         Explicar como evitar os riscos associados aos agentes físicos, químicos e biológicos;
·         Riscos Psicossociais;
·         A utilização do álcool e outras substâncias psicoativas;
·         Medidas de Proteção Coletiva;
·         Equipamentos de Proteção Individual (EPI`s).

3.   Princípios ergonómicos;
4.   Jovens enquanto “grupo vulnerável” (Lei 102/2009 de 10 de setembro alterada pela Lei nº 3/2014 de 28 de janeiro);
5.   Os Acidentes de trabalho e respetivo impacto na vida de todos os trabalhadores (económicos e sociais);
6.   Vigilância da saúde (exames de admissão, periódicos e ocasionais)


Turmas
Nº Alunos
Nº Profs.
Data/Horas
Prof. Resp
Prof. presentes
SALA
12º PQ
35
2
24/11
10:15
Manuela Silva (Qui)
Manuela Silva
(Qui)
  Biblioteca
11ºPQ
Manuela Silva (Por)
12º PR
35
3
27/11
8:30
João Reis
Mário Almeida  
Carlos Banha Helena Costa
Biblioteca
12º PE3
Helena Costa
11ºPE3












domingo, 23 de novembro de 2014

sugestão musical...

Joss Stone - "A Man's World"


Joss Stone & James Brown

ASSISTA À REPRESENTAÇÃO DE "O AVARENTO" DE MOLIÈRE, NO TEATRO D. MARIA II

Bilhetes a partir de 5 euros

©Susana Neves
21 NOV - 7 DEZ 2014

SALA GARRETT                                                                        

4.ª 19h, 5.ª a sáb. 21h, dom. 16h


O Avarento (1668) é possivelmente a sua comédia mais dura, aquela onde Jean-Baptiste Poquelin melhor soube traduzir as patologias do humano num predatório jogo burlesco de onde ninguém sai ileso, porque aqui não há inocentes para resgatar. Na senda da revisitação cénica de clássicos da literatura dramática universal, o Ensemble recupera em boa hora este texto que estreou em novembro de 2009 no TNSJ, com uma segunda temporada no ano seguinte, e obteve o Prémio do Público no Festival deAlmada em 2010.
O Avarento é uma comédia que faz rir para além dos séculos. Mas de que nos rimos ainda hoje em dia? Três séculos e meio mais tarde todos os seus arquétipos continuam a encontrar correspondência nas pessoas que vemos, ouvimos e lemos. Reler a avareza de Harpagão, a ganância dos homens, dos respeitáveis homens de negócios, é oportunidade quase irónica em anos de crise financeira global. Com Molière e com a sua galeria de personagens obsessivas, agarradas à loucura de dominar, angustiamo-nos e rimo-nos das permanências, das teimosias da História.




FICHA ARTÍSTICA

tradução Alexandra Moreira da Silva

encenação Rogério de Carvalho

cenografia Pedro Tudela

figurinos Bernardo Monteiro

desenho de luz Jorge Ribeiro

música Ricardo Pinto

com Jorge Pinto, Emília Silvestre, Clara Nogueira, Ivo Alexandre, Isabel Queirós, Pedro Galiza, Vânia Mendes, Miguel Eloy, António Parra, João Castro, Ivo Luz Silva

produção Ensemble – Sociedade de Actores

M/12




sexta-feira, 21 de novembro de 2014

'O Baile' considerado o melhor álbum português de BD de 2013...

chegará brevemente à nossa BE...

'O Baile' considerado o melhor álbum português de BD



O livro "O baile", com história de Nuno Duarte e desenho de Joana Afonso, foi considerado o melhor álbum português de banda desenhada e com o melhor argumento, pelo júri do festival de BD da Amadora 2013.

O fadista Carlos do Carmo recebeu, na 4ª feira passada, o Grammy Latino de Carreira, no Hollywood MGM Theatre, em Las Vegas, no Nevada.

Veja a homenagem de 35 artistas portugueses a Carlos do Carmo




Um vídeo de "Lisboa Menina e Moça" a 35 vozes serve de homenagem a Carlos do Carmo, no dia em que o fadista recebe o Grammy Latino de Carreira no Hollywood MGM de Las Vegas


"(...) além do criador de "Canoas do Tejo", recebem igualmente um Grammy de Carreira, por "Excelência Musical", Willy Chirino, César Costa, o Dúo Dinámico, Los Lobos, Valeria Lynch e Ney Matogrosso.
Nesta mesma cerimónia, prevista para as 10:00 locais (18:00, hora continental portuguesa), recebem o Prémio do Conselho Diretivo da Latin Academy of Recording Arts and Sciences (LARAS) os músicos André Midani e Juan Vicente Torrealba.
Para homenagear Carlos do Carmo, a Rádio Comercial reuniu 35 artistas para cantar "Lisboa Menina e Moça". 
                                                                                                                               Revista Visão

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Artista português faz vídeo para U2


u2


O artista português Alexandre Farto, mais conhecido como Vhils, foi convidado para realizar um vídeo dos U2.
A notícia foi adiantada hoje, pelo jornal Público, e dá conta da inclusão do vídeo – para a canção “Raised By Wolves” – no lançamento  Films Of Innocence , que irá reunir o trabalho de 11 artistas urbanos diferentes.
Films of Innocence chega a 9 de dezembro e pode ser já encomendado no iTunes, onde é possível ver um teaser . A Vhils coube também fazer a capa de Films of Innocence .


Fonte: Blitz


http://www.pportodosmuseus.pt/2014/11/18/artista-portugues-faz-video-para-u2/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Street art num edifício-ícone da capital - entrada livre

ALEXANDRE FARTO AKA VHILS NO TEATRO NACIONAL D. MARIA II


 
 
27 SET 2014 - 31 JUL 2015
Salão Nobre | Entrada Livre
6.ª e sáb. 15h às 18h
de 4.ª a domingo - 30m antes do início dos espetáculos da Sala Garrett
 

No âmbito do Projeto Memória 

)O projeto Memória (1964) propõe uma reflexão múltipla sobre a presença e a ausência da memória num edifício que foi reconstruído a partir das ruínas de um terrível incêndio que quase nada deixou de pé. Onde está a memória neste edifício de paredes imaculadas e chão atapetado e silencioso? Onde está a memória das actrizes e dos actores e da sua voz? O que guardam as paredes deste monumento nacional?
No contexto do projecto Memória (1964), convidámos Alexandre Farto para intervir nas paredes do Teatro, e não é agora um prédio em ruínas ou uma nave industrial abandonada algures na cidade que acolhe a sua intervenção.
No centro de Lisboa, pode o Teatro Nacional funcionar como uma metáfora da cidade imperfeita?


Aka Vhils


Alexandre Farto (1987) tem estado a interagir visualmente com o meio urbano sob o nome de Vhils desde que se iniciou no graffiti no começo da década de 2000. Tendo crescido no subúrbio industrial do Seixal, foi fortemente influenciado pelas transformações decorrentes do intenso desenvolvimento urbano que Portugal sofreu nas décadas de 1980 e 1990. Começou a trabalhar com a técnica de stencil e suportes não convencionais por volta de 2004, assim como a expor o seu trabalho com o coletivo VSP. Em 2006 juntou-se à prestigiada Vera Cortês Agência de Arte, que levou à sua participação em várias exposições coletivas e à sua primeira exposição individual no início de 2008.
Mudou-se para Londres em 2007 para estudar na University of the Arts (Central St Martins College of Art and Design). Em 2008 participou no Cans Festival, em Londres, onde a sua inovadora técnica de escavação – que forma a base da série "Scratching the Surface” – foi exposta a um público internacional pela primeira vez, tendo sido aclamada pela crítica.
Tem estado a apresentar o seu trabalho em festivais de arte urbana, exposições individuais e coletivas e intervenções site-specific à volta do mundo desde então. Um ávido experimentalista, tem desenvolvido a sua estética do vandalismo numa multiplicidade de suportes – da pintura stencil à escavação de paredes, de explosões pirotécnicas à modelação 3D – expandindo os limites da expressão visual. Vhils trabalha atualmente com a Lazarides Gallery (Reino Unido), Vera Cortês Agência de Arte (Portugal), e Magda Danysz Gallery (França e China).
www.alexandrefarto.com

produção Duarte Cavalinhos e Pauline Foessel
colaboradores Vhilstudio Alexander Silva, Paulo Piedade e Vasco Gaspar


 
 

Torre do tombo "Ao encontro de Todos em 2014" - entrada livre


A Torre do Tombo preparou a terceira edição da iniciativa
A TT ao encontro de Todos, com a intenção de divulgar alguns dos documentos tratados e que têm vindo a ser disponibilizados no biénio 2013 - 2014.

Inclui mostra de doces confecionados a partir do Caderno de receitas pertencente à colecção Manuscritos da Livraria.

O acesso é livre mas sujeito a inscrição.

Esperamos por si, traga-nos as suas sugestões!

Local: Sala de Conferências

Endereço: Alameda da Universidade, 1649-010 Lisboa

Contactos: dsieq@dglab.gov.pt


Link: http://antt.dglab.gov.pt/2014/11/12/a-tt-ao-encontro-de-todos-em-2014/

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Cânone




O cânone musical é uma composição a duas ou mais vozes entoando uma mesma melodia de forma desfasada no tempo.



O cânone de Pachelbel é uma das composições mais conhecidas neste estilo.
 Foi adaptado para orquestras completas para quarteto de cordas, obra para instrumentos solo, voz e em incontáveis outras versões incluindo remixes pop e rock
.



O compositor Roberto Cacciapaglia editou em 2009 "Canone Degli Sapazi".




segunda-feira, 17 de novembro de 2014

17 de novembro de 2014 – Dia Internacional da Tolerância



“A lei de ouro do comportamento é a tolerância mútua, já que nunca pensaremos todos da mesma maneira, já que nunca veremos senão uma parte da verdade e sob ângulos diversos."

Gandhi , Mohandas

sábado, 15 de novembro de 2014

TPC - 9º 1ª - (1º grupo A-B)

Prova Final de Língua Portuguesa  3.º Ciclo do Ensino Básico Prova 91/2.ª 

ChamadaLink: http://www.japassei.pt/admin/..%5Cficheiros_materias%5CPROVA%20FINAL%20de%20Portugu%C3%AAs%20do%209%C2%BA%202012%20-%202.%C2%AA%20Chamada%20-%202012.pdf
                                                                                                                                Bom trabalho!

Recordemos a atividade "Atira-te ao Tejo", no dia da Biblioteca Escolar



 “Atira-te ao Tejo”

 Levados pelo sublime poder inspirador das Tágides, os alunos “atiraram-se ao Tejo”.

 Com a ajuda das ninfas, na profundidade das águas azuis e cristalinas, cada "pescador" encontrou um tesouro especial, o seu...

O dia foi marcado quer pela surpresa, quer pelo entusiasmo, pois o “Tejo é sempre novo…”







Turmas participantes



Horas


28-10-2014

29-10-2014
9h.15
12º PI
Cidália Magalhães
10ºPE1/10ºPQ
Manuela Silva
10h.15
11º PI
Cidália Magalhães
12.00h.
11º PE1/3
Cidália Magalhães
12h.45
9º1ª
Mª João Martins
9º CE
Sílvia Santos
14h.30
12º PQ
Manuela Silva
15h.30
10º PE2/10º PI
Sílvia Santos
16h.15
11º PQ
Manuela Silva


Avaliação da atividade



Tratamento de dados: prof. Mário Almeida


A turma do 12ºPI 


 A professora Mª João Martins apresentou as regras de funcionamento da nossa Biblioteca.

Inspirados pela Tágide, professora Anabela Fernandes, os alunos "atiraram-se" ao rio Tejo.

Seleção de livros


O professor Eduardo Baptista entregou o prémio ao melhor "pescador da atividade "Atira-te ao Tejo".

A turma do 9º1ª


Entusiasmo na busca do tesouro literário...

A inspiração e a persistência não cessam à beira Tejo.

 Concentração na leitura

A professora Anabela Fernandes entregou o prémio à vencedora.