Páginas

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Votos de um excelente período de férias.


Rumamos sempre ao encontro do sol...





Um grande obrigada, por caminhar sempre ao nosso lado.



para além dos olhos...




Nota: Voltamos em setembro.



"Os 31 (quase) melhores livros para ler no verão"







Uma sugestão de um livro por dia para quem tiver um mês de férias. Romances de autores consagrados e das novas gerações. Histórias de anjos a enganar humanos, teoremas, poetas e músicos
Mais de dois mil livros de todos os géneros foi a oferta de novidades que as editoras lançaram entre maio e julho a pensar na época de férias. Portanto, oportunidades de escolha não faltam aos leitores portugueses que queiram levar na bagagem um ou mais livros para ler enquanto vão a banhos ou passeiam longe do litoral (...).

                                                                

Fonte : Diário de Notícias
                                                                                                                                                16-07-2016

Gamificação: o que é e como pode transformar a educação







Gamificação (ou, em inglês, gamification) tornou-se uma das apostas da educação no século XXI. O termo complicado significa simplesmente usar elementos dos jogos de forma a engajar pessoas para atingir um objetivo. Na educação, o potencial da gamificação é imenso: ela funciona para despertar interesse, aumentar a participação, desenvolver criatividade e autonomia, promover diálogo e resolver situações-problema.

Para fazer uso da gamificação, portanto, não é preciso usar jogos prontos – apesar de eles serem uma das possibilidades. Jogos como Minecraft – em que os jogadores precisam encontrar recursos, construir estruturas e plantar para sobreviver – tornaram-se populares não apenas entre crianças e adolescentes, mas entre educadores. Tanto que uma versão especial foi lançada, o MinecraftEDU, que já é utilizado por quase mil escolas em mais de 40 países. (...)

Por que a gamificação? 
A gamificação é uma resposta a diversos males que afetam a educação tradicional, sendo o maior deles o desinteresse dos estudantes. (...)


Conteúdos relacionados:

Rede:
                                                                                  Fonte- Rede das Bibliotecas

Não há "distâncias", quando queremos formar leitores...



A nossa BE ofereceu livros às nossas alunas do ensino a distância.

Visitem-nos mais vezes!




Há quem queira mesmo aprender...







Terminamos o ano letivo, com um excelente exemplo...

Durante as férias, o nosso aluno estrangeiro, Prince,  caminhou diariamente para a  Biblioteca da nossa escola com o intuito de vencer as suas barreiras linguísticas.

Os resultados foram surpreendentes...

Com resiliência,  alcança-se o que parece impossível.


O Prince e quem o ensina estão de parabéns.