quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Os Futuros da Educação - Aprender a transformar-se

 

Captura de ecrã 2020-09-21, às 09.31.04.png




A 25 de setembro de 2019 a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO - https://pt.unesco.org/news/comissao-futuros-da-educacao-da-unesco-apela-ao-planejamento-antecipado-o-aumento-das) lança Futuros da Educação – Aprender a transformar-se (https://redclade.org/wp-content/uploads/Futures-of-Educ-Project-document-19-Mar-2019.pdf) para “refletir e gerar o debate sobre como a educação pode ser repensada num mundo em crescente complexidade, incerteza, e precariedade”. A pandemia provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2 e pela doença Covid-19 que levou ao fecho das escolas, afetando a vida dos estudantes em todo o mundo, intensificou a urgência desta missão (https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000373207/PDF/373207eng.pdf.multi).

Futuros da Educação – Aprender a transformar-se é um projeto ambicioso por diversas razões:

- Serve o propósito de pensar, imaginar e construir, não o “futuro” da educação e da escola que queremos e que precisamos, com todos os novos instrumentos de aprendizagem à distância usados no contexto da pandemia, mas os seus diversos cenários ou possibilidades (“futuros”);

- Perspetiva os futuros da educação e da escola como base para transformação de nós próprios, da humanidade e do planeta (“Aprender a transformar-se”);

- Presidido pelo presidente da Etiópia, Sahle-Work Zewde, é dirigido por uma Comissão (https://es.unesco.org/futuresofeducation/comision-internacional) de líderes em todo o mundo nas áreas da política, academia, artes, ciência, tecnologia, empresas e sociedade civil que apela e mobiliza à participação pública global sobre o tema;

- O seu horizonte é 2050, não obstante os desafios para o desenvolvimento sustentável que a Agenda 2030 ainda nos reserva – esta é a Década da Ação (https://nacoesunidas.org/decada-da-acao-e-impulso-a-agenda-2030-para-o-desenvolvimento-sustentavel/);

- Compromete a comunidade no desenho e realização de uma educação de qualidade, isto é, para todos, todos sem exceção (inclusiva), equitativa e contínua (ao longo da vida), conforme estabelece o quarto Objetivo para o Desenvolvimento Sustentável (ODS, 2015 - https://sdgs.un.org/goals).

Somente na base do direito humano fundamental da educação (Direito 26 da Declaração Universal dos Direitos Humanos – https://unric.org/pt/declaracao-universal-dos-direitos-humanos/) florescem (a árvore como imagem de desenvolvimento ou progresso sustentável) as infinitas possibilidades individuais e coletivas do ser humano e se garante a proteção e preservação da Terra, suporte de vida para todos os seres que nela habitam, defende a primeira ideia do documento do projeto, “Um compromisso público reforçado para a educação como um bem comum” (https://redclade.org/wp-content/uploads/Futures-of-Educ-Project-document-19-Mar-2019.pdf).

Esta conversa global não deve ser estranha à biblioteca e à escola, uma vez que “A Comissão apela a todos com responsabilidades educativas, dos membros do governo aos professores e aos pais, para darem prioridade à participação, de um modo geral, dos estudantes e dos jovens, a fim de co-construir com eles a mudança que eles desejam ver”, tal como prevê a quarta ideia do projeto, “Ênfase à participação e direitos dos estudantes, jovens e crianças”.

E de que modo podem participar e expressar as suas ideias sobre os futuros da educação até 2050 (https://es.unesco.org/futuresofeducation/get-involved/los 3-principales-desafios-y-objetivos-de-la-educacion)? Por exemplo:

- Respondendo a um inquérito de um minuto sobre as suas prioridades;

- Partilhando por escrito a sua opinião;

- Apresentando uma criação artística sobre a sua visão;

- Organizando localmente debates, por exemplo sobre “Aprendizagem virtual vs. escola: o que mais nos influencia?”;

- Ouvindo e influenciando os outros nos debates que a UNESCO está a organizar sobre o tema (https://www.facebook.com/rbeportugal/posts/3405640416166597), alguns em português, como os realizados em colaboração com a Fundação Santilhana (https://es.unesco.org/news/alianza-unesco-y-fundacion-santillana).

A iniciativa dispõe de recursos (https://en.unesco.org/futuresofeducation/resources) que podem apoiar esta ação. As contribuições de todos serão partilhadas com a Comissão Internacional sobre o Futuro da Educação e ajudarão a dar forma ao próximo relatório global sobre educação que será publicado até final de 2021.

Os relatórios da UNESCO expressam uma visão humanista da educação e de desenvolvimento dos direitos humanos e são três:

- 2015: Repensar a educação: rumo a um bem comum mundial?
(https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000244670) – no ano os países assumem o seu compromisso em prol da realização dos 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável, este relatório destaca o papel da educação para o bem comum;

- 1996: Educação: um tesouro a descobrir
(http://dhnet.org.br/dados/relatorios/a_pdf/r_unesco_educ_tesouro_descobrir.pdf - Jacques Delors) - estabelece “os quatro pilares” da educação - aprender a ser, aprender a conhecer, aprender a fazer e aprender a viver juntos;

- 1972: Aprender a ser: o mundo da educação hoje e amanhã –
(https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000001801 - Edgar Faure) - sublinha o caráter universal e contínuo da educação, a forma mais eficaz de ultrapassar as desigualdades e o sofrimento.

Com idêntico propósito as Sete lições complexas na educação para o futuro (https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000117740 - Edgar Morin, 1999), sobre os modos de evitar o erro e a ilusão e alcançar o conhecimento, é outro dos documentos de referência da UNESCO.

Tomando por lemas “Não podemos voltar ao mundo como era antes” e “Agora é a hora de ação coletiva inteligente”, a Comissão aguarda os contributos de todos para a criação de uma nova agenda da educação que responda aos desafios da sustentabilidade humana e do planeta.
Fonte: blogue da RBE

Nove Ideias para a Educação no Mundo Pós-covid

 


A pandemia de saúde global lançou uma luz dura sobre as vulnerabilidades e desafios que a humanidade enfrenta e forneceu uma imagem clara das desigualdades existentes e das consequências do encerramento das escolas para mais de 1,5 bilhão de alunos.

O relatório Nove Ideias para a Ação Pública - Educação, Aprendizagem e Conhecimento num mundo pós-covid-19, da Comissão Internacional sobre os Futuros da Educação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), é o resultado do trabalho coletivo da Comissão Internacional para o Futuro da Educação, criada pela UNESCO em 2019 e apresenta as nove ideias-chave para a educação no mundo pós-COVID-19:

1. Educação como bem comum na origem do qual são gerados todos os outros bens e oportunidades;
2. Alargamento do direito à educação que deve incluir o acesso à informação e ao conhecimento;
3. O valor da profissão docente e da colaboração entre professores engajados com as famílias e as comunidades;
4. A participação e os direitos das crianças e jovens na co-construção da mudança desejável;
5. A importância da escola – e não apenas da educação – nos seus múltiplos papéis (saúde, nutrição, segurança, bem-estar, aprendizagem académica…);
6. Recursos educativos e ferramentas digitais de acesso aberto para todos os professores, crianças e jovens;
7. Literacia científica no cerne do desenvolvimento do currículo;
8. Financiamento nacional e internacional do ensino público;
9. Solidariedade global, empatia e pragmatismo, sobretudo perante os que não têm voz e lugar na vida pública para que rapidamente possam ultrapassar essas circunstâncias.

A par destas ideias para a ação pública em educação, a UNESCO sublinha neste documento que as tecnologias digitais são uma ferramenta importante para a comunicação, colaboração e aprendizagem à distância, mas que a educação não pode prosperar e ser acessível a todos na base de conteúdos já prontos e pré-fabricados à margem da relação e interação pedagógica e humana professor-aluno. Esta relação é a base fundamental de toda a aprendizagem e bem-estar.

Estas ideias devem corresponder a ações concretas e urgentes na luta ativa contra:

- O crescente controlo da educação por empresas privadas de plataformas digitais;
- O fosso digital de alguns territórios – “apenas 11% dos alunos na África subsariana têm um computador doméstico e apenas 18% têm Internet doméstica, em comparação com os 50% dos alunos a nível mundial que têm computadores em casa e os 57% que têm acesso à Internet”, refere o Prefácio deste relatório;
- As violações à privacidade, à livre expressão e à autodeterminação das pessoas em nome da crescente digitalização do mundo e de uma vigilância abusiva;
- A negação do conhecimento científico e o aumento exponencial da desinformação;
- As formas de abuso, violência e falta generalizada de recursos, sobretudo das crianças e jovens no período de confinamento em suas casas.

Estas ideias reforçam uma visão humanista da educação e de desenvolvimento dos direitos humanos já expressa nos relatórios anteriores da UNESCO:

Quando o futuro se avizinha imprevisível e avassalador, haverá força mais poderosa do que a educação para diminuir as desigualdades e enfrentar os desafios?

Fonte: Educação num mundo pós-covid: Nove ideias para a ação pública

18 -09-2020

A Humaniza+ação não pode cessar... Participa como voluntário. Inscreve-te já!

 Dia Internacional de Limpeza Costeira - Praia de Carcavelos




Sabias que todos os anos, no terceiro sábado de setembro, se celebra o Dia Internacional de Limpeza Costeira?
Este dia iniciou-se há mais de 30 anos, nos EUA, com o objetivo de juntar um grupo de pessoas, na altura cerca de 2000 voluntários, para recolher e documentar o tipo de lixo que se aglomera nas zonas costeiras. Estes dados serviram depois para perceber e sensibilizar as pessoas para o problema do lixo marinho!

Este ano, a equipa em Portugal do The Climate Reality Project decidiu juntar-se a diversas organizações para juntos celebramos o Dia Internacional de Limpeza Costeira, no dia 26 de setembro, com ações de limpeza terrestres.

Junta-te a esta iniciativa e participa através do preenchimento OBRIGATÓRIO do formulário abaixo:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSe84OM1CpQdfsX4hQ3986SeGvJ_0aSYZP78CTF2_ButVzv6ig/viewform

Não te esqueças de trazer roupa e calçado confortáveis, água, de te protegeres do sol e de trazer máscara reutilizável.

Com o apoio de: @SUMA.EducacaoAmbiental
https://www.suma.pt/


Nota: O evento pode ser cancelado devido a condições climatéricas adversas.

Sabe mais sobre outras ações a decorrerem em Portugal em www.oceanoazulfoundation.org

#DiaInternactionaldeLimpezaCosteira #Portugal #InternationalCoastalCleanupDay #LixoMarinho #Oceano #BeachCleanup



You may also like the following events from Climate Reality Europe Team Portugal:

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

A equipa da Biblioteca Escolar deseja-vos umas férias revigorantes...



Aproveite as férias e leia muito. 

Porém, leve, na sua bagagem, as palavras de Carl Jung :


“Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana”




Sonhamos, imaginamos e concretizamos...




O projeto “Humanização - Escola Feliz - Criadores de Futuro” nasceu como resposta à panóplia de problemas que assolam, presentemente, o mundo.

O desenvolvimento científico-tecnológico conferiu ao Homem um poder gigantesco que tem de ser utilizado a seu favor e não contra ele. Portanto, urge que os valores universais (a solidariedade, o respeito pela diferença, a tolerância, a compaixão e a paz) associados ao conhecimento, rejam a ação humana, no sentido da humaniza+ação.

A nossa ação abrangente, numa perspetiva humanista e inovadora, gerou parcerias com outras escolas secundárias (Cacilhas-Teja e Boa Nova , em Leça da Palmeira), Centro de Formação Calvet de Magalhães e outras entidades, procurando aproveitar recursos humanos, na rejeição da separação estanque entre as várias áreas do saber, entendendo o conhecimento como um todo que se complementa, através de analogias variadas e, aparentemente, díspares.

Ora, o grande desafio consiste na produção de conhecimento que advém da transdisplinariedade, ou seja, da aprendizagem e da colaboração entre pessoas com formações completamente distintas, enquanto oradores de várias palestras multidisciplinares, visto que banir a divisão entre o saber compartimentado é abrir o caminho ao diálogo, é aproximar a escola ao mundo, na descoberta da criatividade e nà inovação ética que a humanidade exige e poderá torná-la mais feliz.

A "Humaniza+ção" é um coletivo de exemplos e contágios de boa vontade em prol do bem comum.

A equipa da Biblioteca Escolar apresenta profunda gratidão pela vossa colaboração notável.

O "futuro" apela por todos nós, "para além dos olhos...

                                                              Maria João Martins


Nota: no início do ano letivo, será apresentado um relatório específico da Humanização - Escola Feliz- Criadores de Futuro.



segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Sugestão musical...

 

O hino "Muxima", no dia da partida de Waldemar Bastos, o grande músico do mundo...

 

    

"Estou na música por amor", Waldemar Bastos




"Quando o mundo se despede desta grande voz, vale a pena lembrar algumas das suas mensagens: "A música é a única língua que não precisa de tradutor", Waldemar Bastos em entrevista à VOA em 2018.

Oiça a entrevista de Outubro de 2018 na íntegra: https://bit.ly/3kyzVOA Waldemar Bastos morreu a 9 de agosto, 2020 #waldemarbastos #musicaangolana #cultura #arte

Fonte: Youtube

Unidos pelas palavras, conhecemos poetas e palavras maravilhosas que curam o Mundo. Eis a sugestão de "Cura Poética" de Daniela, aluna do 10º A2





Soneto do Amor Total

Amo-te tanto, meu amor ... não cante
O humano coração com mais verdade ...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.
Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.
Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.
E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

  

                             Vinicius de Moraes.


Unidos pelas palavras, conhecemos poetas e palavras maravilhosas que curam o Mundo. Eis a sugestão de "Cura Poética" de Karolina, aluna do 10º A3



Morte
Nem temor nem esperança assistem
Ao animal agonizante;
O homem que seu fim aguarda
Tudo teme e espera;
Muitas vezes morreu,
Muitas vezes de novo se ergueu.
Um grande homem em sua altivez
Ao enfrentar assassinos
Com desdém julga
A falta de alento;
Ele conhece a morte até ao fundo --
O homem criou a morte.
                                                                                        William Butler Yeats

Sugestão musical...

 para além dos olhos...

Quadras populares num manjerico seguro e um Hino ao E@D

 

As professoras do GR220 (Cláudia Dias, Helena Barriga e Patrícia Luís) dão a conhecer o trabalho colaborativo realizado interturmas, Quadras populares num manjerico seguro e um Hino ao E@D

 

Hino E@D

 

Minha Escola tão querida,​
onde posso aprender.​​
Mesmo à distância de um click,​​
as minhas tarefas eu vou fazer.​​
​​
A Escola serve para aprender​​
mas também para me divertir.​​
Por vezes, pode ser difícil​
mas, com empenho e esforço​
Vamos sempre conseguir!​
​​
No E@D é preciso muito esforço e dedicação para aprender.​​
Só assim podemos vencer!​​
​​
A caneta, papel e livro eu vou pegar e estudar.​​
Para depois me sair bem na ficha e de ano passar.​​
 
No ensino à distância
temos de aprender,
respeitar os professores
e também escrever
Gostei muito de aprender!
 
Como os nossos professores não há nenhum,
Foram aulas a valer
E nas férias não vou fazer nenhum.
 
Minha Escola tão querida,​​
onde posso aprender.​​
Mesmo à distância de um click,​​
as minhas tarefas eu vou fazer.​​
​​
No ensino a distância, nós podemos aprender, ​​
prestar atenção na aula e trabalhos fazer.​​
​​
Cada um num canto de Portugal, ​​
quando entro no Skype e ouço: «Olá meninos!» não tem como me sentir mal.​​
​​
Eu viajo de norte a sul do pais ​​
e tu meu querido E@D vens sempre comigo.​​
Para começar a estudar, o computador eu ligo.​​
​​
Ando de terra em terra a estudar.​​
Minha escola querida.​​
Através de um clique as minhas tarefas vou enviar, para no fim me formar.​​
​​
Minha querida escola à distância,​​

aqui finalmente em paz, poderei estudar,​​

Para os meus resultados melhorar.​​



Minha Escola tão querida,​​

onde posso aprender.​​

Mesmo à distância de um click,​​

as minhas tarefas eu vou fazer.​​

Neste tempo de sonhar​

nesta idade em construção​

no E@D é o nosso lugar​

e aprender a nossa missão​.

 ​

Soltar as mágoas do peito​

Desaprender o rancor​,

a violência, o preconceito​ ...

Tornam a nossa escola melhor​

 ​

Esta é a escola que temos​

Onde só há Harmonia​

Harmoniosos crescemos​

Rumo à cidadania​

 ​

Merecer a liberdade​

Respeitando Toda a gente​

Lutar pela igualdade​

Aceitando o que é diferente​

 ​

Viva a nossa escola​!

Viva a nossa gente​!

Aqui no E@D aprendemos, 

por isso, somos contentes!

 

Comemoração do dia mundial da Língua Portuguesa dos alunos do 2º ciclo, feitos com a colaboração das professoras do grupo 220.


Trabalho dos alunos do 2º ciclo, feitos com a colaboração das professoras do grupo 220.

Os alunos do 6º ano fizeram o poema e os dos 5º ano fizeram a banda desenhada que conta a história de Portugal

Muitos parabéns!



A minha Pátria é o meu idioma


A minha janela é a Língua Portuguesa,​​

Pátria de Homens de grande nobreza.​​

A minha janela é a Língua Portuguesa ​​

Dela eu vejo um idioma que se espalhou pelo mundo.​​

A minha cultura determinadora, ​

sem nunca perder a resistência​

a minha língua é leal,​

pois a língua dos portugueses é assim.​

A minha pátria é a felicidade em pessoa,​

sem ela era como um poço sem água.​

A minha língua é um mundo, ​

construído por todos, os que diariamente a usam, ​

é falada em vários sítios e com diferentes entoações, diferentes sotaques…​

É uma língua muito rica.​

Por isso, a minha Pátria é a melhor,​

é fruto dos descobrimentos,​

é também culturalmente majestosa.​

A minha Língua, a minha pátria, a minha cultura.​

A minha língua é o bem mais essencial que tenho.​

Sou Portuguesa, gosto e não mudava por nada. ​

A minha língua é a portuguesa, com certeza. ​

Adoro minha Língua minha cultura​


De Camões a António Pina,​​

de Camilo a Eça.​​

Pátria de muitos poetas,​​

nesta janela onde tudo começa.​​

​​

Muitas foram as tormentas,​​

que desta janela eu vi.​​

Mas este Povo do mar, de mui bravos marinheiros,​​

todas elas viu passar.​​

​​

Desta minha janela​​

eu vejo Portugal a lutar.​

Vejo um país a trabalhar.​

Homens e Mulheres de pasmar!​

​​

Desde norte a sul e ilhas,​​

comidas típicas há, de muitas maravilhas.​​

Da Francesinha ao Pastel de Belém,​​

como os Portugueses não há quem!​​

​​

De sotaques temos mil,​​

neste nosso Portugal.​​

País de povo gentil,​​

onde a diferença é o normal.​​

​​

Da minha janela vejo​

Portugal, um país sem crueldade.​​

Em que sempre lutámos,​​

com humildade pela igualdade!​​

​​

Povo que vive em comunidade,​​

e que aprendeu a acolher.​​

Assim se vive em prosperidade.​​

País que mostra o seu poder.​​

​​

Abro a minha janela​​

e entra a brisa do meu País.​​

A voz do vento e dos Homens,​​

Meu Portugal, Como tu me fazes feliz.​​

​​

Fico da minha janela,​​

em casa e em segurança.​​

Não me esqueço de ter esperança.​​

Neste Portugal que avança.​​

​​

A minha janela é a Língua Portuguesa,​​

Pátria de Homens de grande nobreza!



 

Destaque especial para os trabalhos dos alunos do 5º e 6º anos, no âmbito da atividade "A Escritora veio à Escola".



"Os trabalhos que o nosso grupo 220 fez com alguns dos nossos alunos. 

Os meninos do 5º ano fizeram a sua versão da capa da Alice. Temos de tudo, desde super-heróis a executivos e cantoras pop.
Do 6º ano, os alunos escreveram " a história do capitulo Jaime."    

 Professoras: Helena Barriga, Patrícia Luís e Cláudia Dias